top of page

Polícia Federal faz devassa em empresas coletoras de Lixo no Estado do Amazonas


Receita Federal, Polícia Federal e Ministério Público Federal deflagam operação de combate a esquema fraudulento no ramo de empresas de coleta de lixo e limpeza pública.

São cumpridos 13 mandados de busca e apreensão. Empresas de fachada emitiram R$ 245 milhões em notas fiscais “frias”.

Terça-feira (20/06) Receita Federal, Polícia Federal e Ministério Público Federal deflagraram a Operação Entulho, com o objetivo de obter provas relativas às operações fraudulentas utilizadas para esconder a ocorrência de sonegação fiscal, obtenção de notas fiscais “frias” e lavagem de dinheiro.

Com a operação, os órgãos envolvidos apuram indícios encontrados durante as investigações de prática de diversos crimes, tais como: sonegação fiscal, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em residências de investigados e em empresas supostamente ligadas à organização criminosa.

A investigação

As investigações tiveram início há três anos, quando foram detectados indícios de que empresas que atuam no ramo de coleta de lixo e limpeza pública comercializaram com empresas de fachadas, consistindo na contabilização de despesas, produzidas a partir de notas fiscais de mercadorias e notas fiscais de serviços “frias”.

No âmbito da Operação Entulho, já foram identificados, até o momento, a participação de 31 empresas de fachada, escritório de contabilidade, além de seus respectivos sócios e empregados das empresas de coleta de lixo e limpeza pública.

Essas empresas emitiram notas fiscais suspeitas de serem inidôneas, entre os anos-calendário de 2016 e 2021, no valor total de R$ 245 milhões, com sonegação fiscal estimada em mais de R$ 100 milhões entre tributos federais, desconsiderando-se multa e juros, posto que tais transações acarretaram a geração de créditos indevidos de PIS e Cofins, bem como reduziu as bases de cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.

Foram expedidos pela 2ª Vara Criminal/SJAM – Especializada no Julgamento de Crimes de Lavagem de Capitais, contra o Sistema Financeiro e Cometidos por Organizações Criminosas 13 mandados de busca e apreensão, além de mandados de prisão.

O delegado da Receita Federal em Manaus, auditor-fiscal Eduardo Badaró Fernandes participará de entrevista coletiva à imprensa que ocorrerá às 10 h na sede da Polícia Federal.

Atenciosamente,

Assessoria de Comunicação

Delegacia da Receita Federal em Manaus (AM)

Matéria Publicada originariamente no KOIOTE


50 visualizações0 comentário
bottom of page